Ursula Nogueira

Coluna da Ursula Nogueira

Veja todas as colunas

O último a sair apaga a luz

04/10/2019 às 06:45
O último a sair apaga  a luz

A cada dia que passa lemos, ouvimos, assistimos e apuramos novas informações sobre o mundo do futebol. Aqui em Minas, o café com leite está sendo derramado. O pão está caindo com a manteiga para baixo o tempo todo. E para emendar, a confusão não está só dentro das quatro linhas. Ela ultrapassa a comissão técnica e atinge toda a diretoria celeste. 

Só nesta semana, o Cruzeiro perdeu para o Goiás por 1 x 0, teve a Toca da Raposa “invadida” por uma torcida organizada e o presidente do Conselho Deliberativo, Zezé Perrela, pediu reunião extraordinária para retirar o atual Presidente, Wagner Pires de Sá e a entrega do cargo do Diretor Geral do Cruzeiro, Sergio Nonato. É muita coisa para uma semana só. 

Até quando esta fase no futebol? Quando o torcedor vai voltar ao campo com prazer em assistir a uma boa partida de futebol, digna, sem a preocupação extracampo? 

Não se fala mais em técnica, tática, nomes ou posições de jogadores, não se aposta mais no placar do time do coração com a tranquilidade e prazer de antes. O número de sócio-torcedor tem diminuído assustadoramente como reflexo da má condução do futebol. A arrecadação com bilheteria, salvo algum jogo muito importante, não faz brilhar os olhos de nenhum dirigente mais. Muitas vezes, para ter o apoio do torcedor é preciso fazer promoções.

Futebol está a cada dia mais chato. As páginas heroicas e imortais do time celeste estão manchadas com notícias policiais, processuais, enriquecimentos... Não se trabalha pela camisa, mas pelo dinheiro. Claro que ninguém trabalha de graça. Mas o patamar do futebol chegou ao auge da boa administração financeira de qualquer clube. Salários altos, tanto para dirigentes, técnicos e atletas,  que não há como ter saúde financeira nem aqui, nem na China.

Devolvam o futebol arte. Tragam de volta o prazer em torcer pela camisa. Eu imagino como os antigos craques, Nelinho, Dirceu Lopes, Tostão, Raul, Piazza e cia ilimitada, estão assistindo à atual situação do futebol. O coração deles deve doer. E com razão. Não há transplante que salve tal situação.

Esperemos as cenas dos próximos capítulos da novela cruzeirense: o último a sair apaga a luz, fecha a porta e deixa a chave debaixo do tapete para a nova Era.

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link